A esperança permanece

“Ora, nós esperávamos que fosse ele quem havia de redimir a Israel; mas, depois de tudo isto, é já este o terceiro dia desde que tais cousas sucederam” (Lucas 24:21).

No evangelho de Lucas encontramos um episódio marcante.
É o relato de dois discípulos que estavam a caminho de seu vilarejo numa tarde de domingo, e, enquanto caminhavam, conversavam sobre os acontecimentos relacionados à morte de Jesus.
Um estranho se aproximou e passou a acompanhá-los, observando como estavam tristes.
Eles contaram para o suposto estranho como o Sumo Sacerdote entregara Jesus para ser crucificado.
Então eles disseram: “Nós esperávamos que fosse Ele a redimir Israel”.
Eles disseram ‘nós esperávamos’, em outras palavras, eles disseram que tiveram esperança, mas agora não tinham mais.
Não há nada mais devastador do que a perda da esperança.
Para aqueles discípulos, a esperança se fora.
Aquele que esperavam que fosse o Redentor de Israel, em suas mentes estava morto.
E com Sua morte, a esperança deles morria.
Podemos em alguma área da vida, ou em algum momento, perder a esperança.
Desde coisas pouco relevantes, como nosso time perder um campeonato, ou coisas mais sérias como problemas de saúde, a perda de um emprego, ou problemas com as pessoas que amamos.
Mas nós, os que cremos no Cristo ressuscitado, nunca devemos desistir da esperança, porque ela é a essência da vida cristã. (1 Coríntios 13:13).